♪ ♫ Família é quem você escolhe pra você. Não precisa ter conta sanguínea. É preciso ter sempre um pouco mais de sintonia ♪ ♫

tres

Já foram tantos conselhos, opiniões, discordâncias, mas nunca ouvi aqui um grito, uma ofensa, uma palavra rude.

Já ouvi elas falarem sobre não ter paciência com seus familiares, seu pais, irmãos, irmãs, avós, tios… Mas entre elas, parece que há sim paciência, e muita. E cumplicidade, e uma compreensão que muitas vezes não se sabe de onde vem. Vai ver á algo instintivo, movido pelo medo de ser abocanhada pela temida solidão. Por que ninguém veio ao mundo para ficar sozinho. E por mais que alguns digam de boca cheia que não dependem de ninguém para serem felizes, há estudos que comprovam o contrário. É da natureza humana viver em sociedade, querer compartilhar feitos, dar e receber afeto. Ter alguém em quem confiar, ter um porto seguro, ou, alguns portos seguros!

Ouço ela dizer que tem alguns,  que o mais seguro de todos, com seus 27 anos, ela descobriu que está dentro de si, mas se for para escolher  um lugar fora dela, esse lugar seria nos braços de sua mãe. Mas como o tema dessa conversa não é nossa família de sangue e sim a família que a gente escolhe para gente, então ela disse que tem alguns outros portos seguros.

Tá ficando confuso para mim esse papo, mas ela vai explicar melhor!  fefe

Falar que se sente aconchegada no colo da mamãe é muito fácil, é natural, assim não vale. O bom mesmo é quando ela se sente aconchegada nos braços ou na cia de alguém que não tem a obrigação intrínseca de cuidar e se preocupar com ela. Essas pessoas que a fazem se sentir assim, são chamadas por ela de melhores amigas. E ela diz que tem apenas 3 melhores amigas até hoje. Muitas amigas queridas, mas as melhores são apenas 3. E olha que 3 não é um número de se jogar fora não! Afinal, quem por aí já encontrou 3 trevos de 4 folhas ou 3 diamantes? Aposto que a maioria não encontrou nem um, imagina 3. Pois para ela foi um achado maior que esses citados, por que essas 3 são “coisas” muito mais valiosas!

Por isso ela diz que tem MUITA sorte. Muita sorte de ter conhecido 3 meninas que a fizeram sorrir, dançar, chorar, se alegrar, dar broncas, ouvir, falar muito também, ter vontade de ir sempre em frente, ter vontade de gastar todo o dinheiro em presentes para elas, de se deitar no chão para elas passarem sem tropeçar em nada, de dar a roupa para elas usarem se estivessem sentindo frio, de dividir um prato com um grão de arroz se elas estivessem com fome. Ter vontade de sentir por elas a dor do parto, a dor do abandono, a dor da solidão, a dor de não entender qual a função delas no mundo, a dor da rejeição, a dor da derrota, a dor de acordar em um dia não muito bom, se olhar no espelho e se achar a pessoa mais feia do mundo. Enfim, estas 3 a fizeram ter vontade de tomar todas as dores do mundo para si desde que Elas estivessem sorrindo e felizes.

Mas isso não existe! Isso não pode, isso não dá. Cada um tem o seu karma, o seu destino, o seu papel, então o que ela pôde fazer foi estar sempre ao lado dessas 3, tentando deixar essas dores menos doídas, e o mesmo essas 3 fizeram por ela em algum momento da vida dela.

Uma veio de um trabalho que era quase uma brincadeira, a outra da faculdade, e a terceira trabalhou junto também.

Afinal dizem que os maiores amores da nossa vida ou conhecemos na escola, ou no trabalho. Acho que na minha vida isso foi regra!

Mas, o que ela diz é que não importa de onde cada uma veio, e sim para onde cada uma está indo, ou melhor, para onde Elas estão indo, e seja para onde for, o importante é que sempre estejam juntas: 1 vez por semana, 1 vez por mês, 1 vez por ano, não importa quantas vezes, e sim que quando houverem as vezes, que seja intenso, verdadeiro, que seja eterno enquanto dure.

Por que amizade de verdade, não precisa “tá” junto para “tá” perto, não precisa ouvir para sentir, basta olhar para entender …

O que faz você se arrepiar?

BeFunky_VintageColors_3.jpg

Hoje o som tá no último volume. As belezas estão animadas, eletrônico, sertanejo, mpb, românticas, Fábio Júnior, Roberto Carlos … Xii os tons de vozes vão mudando, acho que a emoção está vindo a tona.

Arrepios, e ouço algo que me agrada, parece que a discussão hoje é um pouco mais filosófica do que normalmente. O que te faz arrepiar os pelos do braço, a nuca e até os cabelos?

Tudo começa quando uma delas diz ficar arrepiada pela melodia da música Viva La vida, do Cold Play, ela não fala inglês, não entende 20% da música, mas só a melodia já a deixa de pelos em pé.

“Já vi gente que se arrepia com narração de gol do time do coração. Eu me arrepio com o chute pra fora do Roberto Baggio, na Copa de 94, eu tinha apenas 8 anos e fui pro quarto ficar sozinha, peguei a imagem de Nossa Sra Aparecida e comecei a rezar. Quando ele perdeu o pênalti, me arrepiei dos pés a cabeça. Foi a primeira grande emoção da minha vida.

O mesmo acontece quando ouço o Tã Tã Tã do Airton Senna, não conheci muito o seu trabalho, mas sabia que aquela música era motivo de alegria nas ruas, pelo menos durante o domingo inteiro.

Já vi gente que se arrepia com final de novela, propaganda de manteiga, poesia, um trecho de uma música que conta um pouco a história de algo que aconteceu em sua vida em algum momento e que trás emoções fortes, boas ou ruins.

Também já vi e me vejo arrepiar e até mesmo escorrer uma lágrima com atitudes fofas de bebês e de animais. Uma declaração de amor, uma amizade verdadeira também me dá arrepios, filme de terror com espíritos, ETs. Sensação de que tem alguém me observando também bota os pelos pra cima e aí da até um frio na espinha (sabe-se lá se isso é real ou coisa da minha cabeça).

Me arrepia passar por uma rua suja e mau cuidada e ainda assim sentir o cheiro forte de uma flor, também me arrepia muito gente mau humorada, sem educação, que ouve música alta no trem, que empurra os outros para entrar no vagão como se fosse tirar o pai da forca.

Um beijo no pescoço e uma voz rouca no pé do ouvido? Quem disser que não arrepia, acho que está louco da cabeça ou doente do pé. O nascimento do filho (nossa imagino que isso arrepie tanta coisa que eu nem quero imaginar onde pelos devem subir rs)

Andar de bicicleta e sentir o vento bater na cara, ganhar o campeonato (vide foto tema deste Post), ver aqueles quilinhos indo embora,  que aquele gatinho te mandou uma mensagem dizendo que adorou te conhecer,  ver sua avó de 90 anos sorrindo, ainda vaidosa, pedindo para que você a espere alguns minutinhos antes de saírem por que ela precisa passar seu batom vermelho. Dar um presente a alguém que queria muito. Salvar uma vida, mesmo que seja com um sorriso, ou um texto escrito por você.

Pensar em Deus e em todo seu infinito amor, seja lá qual for sua religião, ter a esperança de que dias melhores virão. Ver as fotos da viagem e das pessoas inesquecíveis que você conheceu e que talvez nunca mais reencontre. Uma cerveja geladinha. Mergulhar de cabeça no mar, no amor, na vida. Sentir o cheiro dele numa peça de roupa sua.

Não podia deixar de dizer que giz esfolando na lousa e apagador raspando no canto do quadro negro me arrepiam no fundo da alma. Mas, atualmente, infelizmente, o que mais vem me arrepiando, é gente que queima a outra por que tinha só tinha R$ 30 reais na conta bancária, a falta de responsabilidade de não ter uma saída de incêndio numa casa noturna gigante, gente que faz arrastão numa rua famosa frequentada por pessoas que querem fazer sessões fotográficas  e levam tudo o que essas pessoas tem de valor, gente que rouba carro de cidadão trabalhador e que depois a filha, também trabalhadora, tem que mexer em suas economias pra dar um outro carro ao pai, que precisa dele pra trabalhar.

Isso me arrepia, os pelos, a nuca, o cabelo e o fundo da minha alma.”

Ai ai , essas mulheres …

Mãos dadas

maos-dadas
Nossa, o que é que houve! Faz quase 2 meses que ela não aparecia por aqui com uma de suas amigas para discutirem sobre algum assunto daqueles, rs. Eu já estava com muitas saudades na verdade, e dessa vez tem um monte delas, adoro …

Xiii, para variar falando sobre relacionamento, homens, o que pode e não pode no primeiro encontro depois da ficada na balada. Cada uma tem uma opinião diferente, umas acham que já pode cumprimentar com beijo na boca desde a hora que o menino para o carro em frente a casa dela para buscá-la. A outra acha que tem rolar uma segunda conquista, que é como se começasse novamente do zero, e assim será todas as vezes em que eles saírem, para um dia, aí sim, namorados, poderem dar o primeiro cumprimento direto com um beijo “caliente” no meio da boca.

E aí tem as mais desapegadas, que se assustam com o tema da discussão e falam: “Sair duas vezes com o mesmo cara, para que?” Para tudo na vida tem uma explicação, né?

To vendo que hoje, por ter muita gente, as opiniões serão bem controversas, aí eu me animo mais!

Há as que digam que, se você ficou de “quatro” pelo cara ou por que ele era muito gato ou por que a química foi demais [to usando as palavras delas], o que deve ser feito é ser bem desencanada. Quanto mais você quer, mais você deve mostrar que não quer. Afinal, para conquistar quem te conquistou, a única arma é se mostrar difícil, inalcançável, desinteressada. Tipo assim: só aceitei sair com você por que não tinha nada mais interessante para fazer nesse domingo frio e tedioso.

Gozado, em outras situações já ouvi elas dizerem que esse papo de mulher ter que bancar a difícil é assunto para machistas do século passado discutirem, mas, por outro lado, sempre quando uma pede conselho para outra sobre como conquistar um cara que está a fim, a outra fala coisa do tipo: Demore para responder as mensagens dele, entre no WhatsApp só para ele ver que você ficou online e mesmo assim não respondeu. Se sair com eles e suas amigas, dê mais atenção a elas do que para ele, para ele sentir que a sua vida de antes de conhecê-lo é mais importante do que tudo nesse mundo.

Ok, primeiros tópicos discutidos, a próxima parte é, e depois que você vê ele pela primeira vez na luz clara de um restaurante, shopping, parque, ou até mesmo sob a luz da lua? Não há mais aquele clima de curtição da balada do outro dia, não tem mais aquele monte de gente dançando e curtindo ao lado de vocês. Agora são só você e ele. Só você e o que você pensava que ele fosse! Como reagir na vida real, sem umas cervejinhas na cabeça, como lhe dar com um cara que está ali com você, com certeza louco para, no mínimo, beijar sua boca outra vez, te abraçar?

Elas ilustram a situação dizendo que é o mesmo que acontece com um gado, quando está indo para o abate: já se sabe qual será o final da história. Que tudo acabará, no mínimo, em BEIJO! Bom, o esperado é que você queira que seja assim, afinal, se aceitou o convite, é por que estava querendo viver esses momentos outra vez.

Nossa, o pior é que elas dizem que, em alguns casos, o papo de que não tinha nada para fazer nesse domingo frio e tedioso é verdade, e aí, na hora que elas reencontram com a iluminação de uma lâmpada o tal galã as avessas, a vontade é de sair correndo dali, mas #comofas? Fica, senta, dá uma corridinha do banheiro, e chora! Por que provavelmente você foi de carona com o cara e nesse dia tão monótono, a última coisa que você quer é pegar um ônibus lotado ou gastar mais um pouco do seu rico dinheirinho, indo embora de táxi, depois de um encontro frustrado.

Ok, a escapadinha para o banheiro para esconder a decepção ou a emoção já foi, agora o próximo passo: caminharemos juntos, lado a lado, rumo ao destino do passeio. E é aí que eu escuto a parte mais interessante dessa conversa. Dar ou não dar as mãos?

Parece que uma delas não é muito a favor, por que, pasmem, é uma demonstração de grande intimidade! Vem a tona até uma comparação, dizendo que há algumas norte-americanas que ela conheceu que faziam de tudo com os homens, saiam, iam para os finalmente, dançavam frenéticamente deixando os bailes Funks no Rio no chinelo, mas elas não beijavam na boca!! Por que? Por que para elas, beijar na boca é algo extremamente íntimo, para gente não!

E, seguindo essa linha de raciocínio, ela defende sua opinião dizendo que não há nada mais íntimo do que andar de mãos dadas. Assumir para o mundo que aquela pessoa está realmente formando um casal com você, deixar que aquela pessoa tenha a grande honra de exibir para quem olhar que você é a sua cia do momento. Dar as mãos é uma demostração de afeto, de cuidado, de querer estar perto. E mais, trocar energias, andar num sincronismo de movimentos dividindo quase o mesmo espaço, tendo que, pela primeira vez, mesmo que nada tenha sido dito, entrarem num estado de comunhão, concordância de para onde os passos devem seguir, sentir o calor do corpo do outro de verdade, se suas mãos estão frias ou quentes, trêmulas ou em paz.

Se existem calos ali por um esportista descuidado que acha que usar uma luva não faz parte das suas preocupações diárias, provável machão, ou apenas alguém desligado que não pensou sobre isso, ou marcas de um trabalhador manual. Ou se ali tem uma mão de cetim, de um cara metrosexual ou talvez apenas que goste de se cuidar, ou ainda que tenha tido a sorte por ter puxado as mãos macias da família da sua mãe ou que nunca tenha tido a necessidade de pegar no batente! Agora, se elas estiverem suadas, mesmo no frio do dia entendiante e com baixas temperaturas, talvez mostre que ele estava ansioso para te encontrar novamente, e ficar juntinho de você. Aí talvez ele mereça um beijo, daqueles, ali mesmo, em qualquer lugar onde vocês estejam.

Há quem diga que sexo é o ato mais íntimo que pode haver entre duas pessoas. E a maioria diz isso. Hoje, pela primeira vez, o que eu ouvi e até me fez pensar e no final, concordar, é que não há nada mais próximo, revelador e envolvente do que andar de mãos dadas.

Ai, essas mulheres!

Essa tal felicidade …

feliz

É, ela achava que era inferno astral pré-aniversário, mas não era não. Já tem mais de duas semanas que ela apagou as velhinhas e a nuvem negra continua pairando em cima de sua cabeça. Tadinha! Ela diz que esta velha demais, mas ela se sente da mesma maneira que se sentia quando tinha 18 anos de idade. Parece que ela vive em um mundo físico em que o tempo corre rápido demais, mas o seu mundo interior é extremamente lento. Lá dentro, ela diz que o tempo espera por cada momento certo, espera por alguma voz que vai dizer a ela a coisa certa a ser feita. Mas, o mundo aqui de fora é muito diferente, ele está sempre ditando regras, ele esta sempre dizendo o que você tem que fazer , quando, se você já deveria ter feito, e se ainda não fez, esse mundo externo vive te cobrando o POR QUE você ainda não fez.

São dois mundos completamente diferentes que sem explicação nenhuma, simplesmente tem que ser vividos e desbravados ao mesmo tempo, e o pior, não tem ninguém pra te ensinar como fazer isso, você (ela, ele, todo mundo) tem que descobrir sozinho como fazer isso da melhor maneira, mas leva tempo … E é esse tempo que se passa no mundo externo, quando você aprende como agir, você vai embora! Game Over!

O que eu to entendendo é que no mundo interno dela há uma certeza tipo assim “Pare de fazer mais do mesmo”, mas no mundo externo uma voz, ou TODAS as vozes possíveis, por que o mundo externo é muito semelhante para quase todo mundo, dizendo “Continue fazendo isso por que você não tem mais tempo pra descobrir outra coisa a fazer.”  Tempo só não, ela fala algo sobre ter dinheiro também. Parece que nesse mundo exterior, o dinheiro é a coisa mais valiosa que existe. Com ele, você compra roupa, beleza, namorado, amigos… Nossa, será que também da pra comprar felicidade? Aí seria excelente hein!

Opa, acabei de ouvir a reposta. Não, felicidade não dá para comprar com esse tal de dinheiro não. Ela tá falando, e as meninas concordando, que a tal da felicidade (palavra muuuuito pronunciada aqui dentro) habita apenas o mundo interior. Ela não se compra em nenhum estabelecimento, ela é conquistada. Parece que só se conquista a felicidade quem faz o que ama, quem vive perto de pessoas que ama, quem faz as coisas com amor, quem dá amor ao próximo. E ela falou que se sentir feliz, é se sentir completa! É se sentir em plena existência nos dois mundos. É muito maior que ter a conta bancária cheia desse tal de dinheiro, pois com a felicidade, o que tá cheio é o seu coração, cheio de amor.

Olha, se eu não for muito tapado, o que entendi hoje dessa conversa toda é que a coisa mais importante do mundo é o AMOR!

Ai, essas mulheres …

Desperdício de amor

httpwww.sheisallthat.blogspot.com

O clima é de discussão, de polêmica, de inconformismo. Os tons de vozes são altos, descontrolados, alternados. Elas não entendem porque nos dias de hoje as coisas são tão injustas. Enquanto se fala muito em consciência ambiental, em reciclagem de lixo, amor ao meio ambiente, ninguém para pra pensar também no que fazer com os amores desperdiçados.

E eles são muitos! Se juntar tudo, não há Maracanã que seja capaz de alojar toda a quantidade de amor desperdiçado. Por que no mundo de hoje o que vale mesmo é o trabalho, são os resultados, é a redução do budget. O amor fica para segunda plano, quando ele puder ser vivido, quando der tempo dele ser lembrado.

Tem muita gente por aí com muito amor alojado, com muito amor estragado, precisando ser reutilizado. Tem muita gente amando sozinha, por que o outro não dá valor, por que o outro não teve tempo, por que o outro quer algo melhor. O que elas não conseguem admitir é como o amor tem sido não utilizado, tem sido encostado, desvalorizado. Por que o mais legal é o sexo sem compromisso, o beijo sem repetição, a troca de namorado, conhecer o vizinho ao lado, ou o cara do trabalho.

O importante é quantidade e não qualidade, é a intensidade e não a longevidade, é o momento e não o infinito. Elas dizem que no mundo de hoje tá dificil ser mulher, mas aquela mulher de essência pura, que sonha com o príncipe numa armadura, pronto para te resgastar de todo o mal e te fazer feliz.

O livro que vende horrores é o que mostra a história de sexo descompromissado, cheio de fantasias e nada de apego, cheio de sonhos e nada de real. Nesse mundo atual tá difícil de ser mulher delicada, desprotegida, romântica. Ou será que o mundo sempre foi assim e elas é que não enxergavam?

Elas dizem que quanto mais elas vivem mais fica difícil acreditar no amor, no valor de sacrificar-se pra estar junto de alguém. O muito que é feito não é valorizado, o erro pequeno é bem mais destacado, as horas felizes são esquecidas com rapidez enquanto os pequenos momentos de coisas ruins são eternizados.

Elas dizem que não aguentam mais viver assim, nesse mundo cruel, cheio de verdades mentirosas, cheio de mentiras mostradas como reais! Cada dia é mais dificil sair daqui do quarto e encarar o mundo lá fora.

A luz vem chegando, uma nova era se aproxima! E com a luz vem a claridade, com a claridade vem a nitidez e tudo que é ruim e não era visto antes, agora começa a se tornar visível, mais claro. Tudo sempre esteve lá, assim, errado, mais com a luz que ilumina agora, tudo começa a ficar mais fácil de enxergar.

E que o amor reine poderoso, primordial, vencedor. Que ele não desista de conquistar seu primeiro lugar no pódio, no coração dos humanos. Por que o amor é a base de tudo! E assim acaba a conversa do dia de hoje …

Ai, essas mulheres!

Mais um ano de vida

Happy_Birthday_35669

Hoje é um dia especial!

Ela completa mais um ano de vida. Acha que tá ficando velha, rs. Mal sabe ela que está começando a engatinhar ainda. Mas elas sempre acham que estão velhas, enrugadas, que já não tem mais a mesma disposição, que precisam arrumar logo um marido ou vão ficar para titia … Bom, essa parte acho que não é muito a cara dela. Pelo menos dessa menina eu nunca ouvi isso.

Ela queria pintar as unhas, mas trabalhou a tarde toda, atendeu muitos telefonemas (pelo que ela está falando, o dia foi movimentado, muitas ligações, mensagens no Facebook e Whatsapp e emails) e acabou não dando tempo por que agora ela resolveu que tem que escrever de qualquer jeito em seu blog. Um dia ainda vou conhecer uma mulher que não queira conquistar o mundo num dia só.

Ela fala que nunca gostou muito de comemorar seu aniversário por que ela sempre fica ansiosa contando que as pessoas que ela mais gosta vão aparecer, e até contando que quem disse que não ia, vá, para fazer uma surpresa. Aquariana é complicado! Mas esse ano ela disse que vai fazer diferente, não vai ficar pensando em que não foi e sim se concentrar em que conseguiu estar lá com ela, e dar toda sua atenção e energia para essas pessoas.

Algo errado aconteceu, o inferno astral desse ano foi o mais poderoso de todos. Ela está uma pilha de nervos, desanimada, e esse encontro com os amigos hoje a noite será uma reenergização para superar toda essa fase.

Mais um ciclo de 365 dias vividos se fecha agora! Qual o balanço que ela tira de tudo isso? O último ano foi para ela um dos mais bonitos, pois ela realizou um sonho antigo, de morar fora, conheceu pessoas especiais, se apaixonou, se divertiu, mas também se descobriu em uma fase difícil nos últimos dias do ciclo. Ela espera que no aniversário do ano que vem às coisas estejam mais em seus lugares por que esse ano está tudo nebuloso para ela.

Ela ainda não sabe que roupa usar, ela está atrasada, tem que tomar banho ainda. Ela vai sair correndo como sempre e resmungando que não conseguiu se arrumar como queria.

Ai, essas mulheres!

Almas gêmeas

almas-gemeas

Hoje parece que a conversa vai render. Não são só duas, são três!

Nossa, mas parecem irmãs. E gêmeas! Nunca vi essas duas juntas aqui antes, tem algo muito estranho.  Logo, logo começo a entender.

É, já tô começando… Já sei quem são, na verdade elas não se parecem tanto de perto não, mas mesmo assim, senti uma identificação muito grande entre as duas. E é justamente sobre isso que elas tão falando hoje.

Parece que as duas meninas se conheceram na noite passada, nunca tinham se visto, mas já estão se tratando como melhores amigas. Aiai, elas são sempre assim, se entregam a novas amizades rapidamente, depois reclamam que não podem contar, que a pessoa não era o que elas imaginavam.  Mas também, as relações se constroem com o tempo. Parem de contar assim seus segredos uma para outra!!!

Não, elas não param. Não param de tagarelar. A outra já ta contando dos problemas de casa, a outra falando do ex-namorado, e a outra só ouvindo e vez em outra dando algum palpite. E o assunto rolando solto! Tão falando sobre como é incrível e estranho quando você conhece uma pessoa e já tem vontade de abraçá-la, de dar o seu melhor sorriso pra ela, de contar sobre sua vida como uma maneira de fazê-la se sentir intima, de trazê-la para perto de você. Elas dizem que esses encontros de “espíritos conhecidos” não são tão freqüentes, mas elas também não acham que aconteçam muito raramente.

Olha lá, já estão combinando de se verem de novo, de viajarem juntas, de conhecerem o mundo, rs! Já estão compartilhando seus desamores, trocando opiniões e principalmente os telefones. Parece que uma delas é um pouco mais nova, e escuta atentamente as opiniões da experiente da conversa, mas que no fim acaba sua frase falando que só muda a idade, mas que os comportamentos humanos tendem a serem os mesmos para sempre, em algumas áreas da vida.

Uma delas é solteira e a outra tem namorado. Uma conta as delícias de estar amando, descreve a loucura da paixão enquanto a outra se encanta mesmo é com o dom do desapego, de não sofrer pelo rapaz que beijou na noite passada e que talvez nunca mais vá procurá-la. Uma conta sobre problemas familiares, e a outra, que foi criada num ambiente totalmente diferente, encontra a princípio um pouco de dificuldade em entender tudo que a outra menina viveu. Ela se mostra um pouco inconformada no início, mas depois de ir prestando muita atenção, ela muda o semblante e faz cara de quem precisa aprender que ninguém é igual a ninguém neste mundo, e que tudo deve servir como fonte de aprendizado, e não de julgamento.

Passa um pouco elas riem, elas se entristecem, elas se elogiam, e no final se comprometem a se encontrarem o mais rápido possível, por que o reencontro dos “espíritos conhecidos” tem que acontecer o quanto antes.  Esse tipo de almas amigas não devem viver distantes, uma vez que se conhecem.

Ai, essas mulheres …

Chegou a hora de insistir ou desistir?

Insistir-ou-desistir

Ela chegou!

Nossa, hoje ela tá muito linda, mas parece que está um pouco esbaforida, acho que está chegando de algum lugar. Xiii, mas a cara não tá muito boa não. Tô sentindo que ela não tá feliz! Ela tá com uma carinha preocupada, um pouco descontente, mas não completamente triste e desanimada. E já chegou falando muito, falando alto, parece que ela tá brava. O que será que aconteceu com ela? Tá difícil de entender, ela fala rápido demais, tá eufórica,  enraivecida, às vezes parece que vai chorar, mas de repente, muda o tom e perco a sensação de que virão lágrimas por aí…

Acho que tô começando a entender. Ela realmente está um pouco revoltada, não consegue entender por que é tão difícil ser feliz ao lado de quem ela ama. E o pior, pelo que eu tô entendendo, parece que ele também gosta muito dela. Ela tá falando algo sobre arrependimento, esforços que ela fez. Parece que ela ta com a sensação de que tudo está indo por água abaixo. Diz que já lutou muito, que acha que já fez tudo que ela podia e não vê mais saída, não enxerga mais para que lado pode  ir. Dessa vez ela só viu uma direção. A da porta de saída. E foi o que ela fez. Mas ela disse que foi obrigada, que não é o que ela queria do fundo do coração. Tadinha!

Xii começou a chorar, agora queria poder falar para conseguir acalentá-la. Ela diz que dói quando ela lembra de momentos lindos que ficaram no passado  e que nunca mais vão voltar. Ela diz que dói lembrar de alguém que parece não mais existir. Nossa! Será que alguém morreu? Essa conversa ta confusa demais pra mim. Ahh parece que não. Ele não morreu. Mas ela diz que ele não existe mais, talvez nunca tenha existido, na verdade. Ela acha que ele tenha sido apenas uma obra da imaginação dela, que as mulheres adoram criar seus príncipes encantados e que a maioria dos desencantos que elas sofrem são proporcionados primeiramente por elas mesmas, que na ânsia de encontrarem o amor de suas vidas a seu modo, ficam imaginando atitudes, surpresas, provas de  amor, e que mais da metade destas coisas acaba nunca acontecendo na vida  real.

Ela diz que de agora em diante vai ser a protagonista de sua própria vida, não vai mais deixar a vida lhe levar. Mas que será a primeira vez que ela vai tentar fazer isso.

Isso eu bem me lembro, ela já falou diversas vezes que não é boa em terminar relacionamentos , mas disse que dessa vez ela pode dizer que foi obrigada a fazer assim. Ou era isso ou era isso.

Gosto quando ela se lembra de alguma historinha pra ilustrar o que está acontecendo com ela. Dessa vez , tá contando aquela do homem que pedia pra Deus ajudá-lo a se salvar de um dilúvio, e que Deus mandava um monte de gente em barquinhos para resgatá-lo e o cara dizia que não ia subir, que estava esperando Deus ir ajudá-lo.  Até que se passa muito tempo, e o homem quase que perdendo as forças e a fé começa a questionar onde está Deus que não foi ajudá-lo. E Deus fala que mandou um monte de gente para resgatá-lo e pergunta por que ele não aceitou nenhuma das ajudas!

Olha só, e não é que essa história combina direitinho com o que ela tá dizendo? Ela fala que muitas vezes, em seus relacionamentos, ela teve testes e até situações em que ficava nítido que ela não deveria mais estar com aquele cara, mas ela fingia não enxergar, fingia não ver o sinal de Deus, e que aí depois, quando ela já estava completamente sem forças, já era tarde, o sofrimento viria muito mais intenso mesmo.

Eu não entendo essas mulheres, elas sempre têm todas as respostas para as perguntas que elas mesmas se fazem! Mas o que eu percebo é que elas sempre preferem fingir que não sabem resolver a equação. Que estão na dúvida pela melhor alternativa, sendo que elas sempre sabem. O que acontece com essas meninas, é que elas têm muito medo de sofrer… Mas eu também acho que no fundo no fundo , o maior motivo é por que elas foram projetadas nesse mundo para acreditar no poder do amor. Elas são todas iguais, sempre acham que algum grande milagre vai acontecer e o homem que hoje faz tanto mal para elas, no futuro vai ser o motivo de grande alegria.

Ai, essas mulheres …